Treino prazeroso

Ao que tudo indica algumas mulheres andam conseguindo atingir orgasmos na academia… Pelo menos é o que indica uma pesquisa feita pela Universidade de Indiana, nos EUA, e divulgada pelo GNT. Então, quer dizer que além da satisfação e da sensação de dever cumprido e calorias queimadas, a academia pode ser sinônimo de prazer?

Segundo o estudo, sim! E, acredite, os exercícios responsáveis pelo episodio são meras abdominais, seguidas de levantamento de peso e yoga. Isso porque a contração do músculo do abdômen durante essas atividades deixa as mulheres mais suscetíveis ao orgasmo.

No entanto, nem tudo é festa! De acordo com a pesquisa, as mulheres que sentiram prazer na academia, o consideraram algo chato, incomodo e nada legal.

Bom, a associação que pode ser feita, na verdade, é entre a atividade física e a vida sexual. Muitas pesquisas já apontaram os exercícios como as melhores formas de dar uma levantada na vida entre quatro paredes e isso apenas confirma as teorias.

Ana Carolina Souza
Equipe Mondayacademia.wordpress.com

Cuidados com o joelho

Ano Novo, Vida Nova! Como sempre, nos comprometemos a realizar coisas diferentes e objetivos diferentes. Com dedicação é possível, sim, riscar cada um desses planos das nossas listas, mas quando as metas envolvem corpo e saúde, um pouco de cautela é mais do que bem-vinda.

Comprometer-se a ver os números da balança diminuir ou a massa muscular ganhar mais evidencia e tamanho, por exemplo, deve ser uma meta estudada com cuidado e com o auxilio de profissionais da alimentação e atividade física, como a Monday Academia. Conhecer as limitações e especificações do seu corpo é fundamental para que os resultados possam ser alcançados sem sustos e problemas.

Se você vai começar a correr, pedalar ou pular, por exemplo, os joelhos devem receber atenção redobrada. Essas importantes articulações sustentam uma dose alta de carga, ou seja, uma grande parte do nosso peso. Vulnerável, elas não recebem tanta proteção devida sua localização superficial. Por isso é fundamental manter sempre em perfeitas condições ligamentos e músculos.

O segredo?

– Não fuja de um bom ortopedista. Enquanto isso não for possível, lembre-se de fortalecer e alongar a musculatura da coxa e perna. Assim você evita o desgaste da articulação.
– Invista em um bom par de tênis. Pisar de maneira correta é uma das maneiras de evitar problemas no joelho.
– Se a dor aparecer não recorra a medicamentos sem orientação profissional. Mascarar a dor não ajuda em sua causa.
– Varie! Não fique muito tempo praticando a mesma modalidade. Intercale esportes e dê um tempo aos seus joelhos.

Ana Carolina Souza
Equipe Mondayacademia.wordpress.com

Consciência corporal na terceira idade

Quem está chegando ou já faz parte da terceira e melhor idade, sabe mais do que ninguém os efeitos que o tempo tem sobre nosso corpo e mente. Os anos trazem maturidade e conhecimento suficiente para transmitir bons conselhos e dicas sobre a vida, por mais louca que ela seja, mas refletem também no modo como essas pessoas passam a realizar tarefas que antes pareciam fáceis, como subir escadas ou alcançar objetos altos.

A partir dos 40 anos, homens e mulheres iniciam um processo natural de perda de massa muscular, o que compromete os movimentos necessários para as atividades do dia-a-dia. Cumprindo uma rotina semanal de exercícios, homens, os maiores atingidos, conseguem retardar essa perda de músculos e também a andropausa.

O sexo feminino, que tende a desenvolver a osteopenia, por exemplo, encontra em diversos exercícios físicos uma maneira de prevenir possíveis problemas. Por isso, de acordo com Isaías Rodrigues, professor e sócio da unidade eTower da Monday Academia, as mulheres precisam de atividades que proporcionem impacto. Caminhadas, corridas leves e musculação, em ritmo moderado e em média, durante 30 minutos diários, geram fortalecimento muscular e protegem a parte óssea.

Conciliar atividades de impacto com alongamento ou ioga, pode ser a chave para que seja alcançado um corpo mais saudável e jovem. Adote além da rotina de exercícios, uma alimentação consciente, sem esquecer-se de todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento da vida na melhor idade!

Ana Carolina Souza
Equipe Mondayacademia.wordpress.com

Corrida – tipos de terreno e seus benefícios

Que tal aproveitar a mudança de estação para alternar os ambientes em que pratica suas atividades físicas? Correr, por exemplo, em diferentes tipos de piso pode contribuir para melhor condicionamento, melhorar equilíbrio, fortalecer músculos pouco utilizados e aumentar a queima calórica. Não acredita? Então confira as orientações do coordenador técnico da Monday Vila Mariana, André Della Creche.

Corrida em Asfalto
Ao sair do conforto da academia, o corpo precisa se adaptar às mudanças de temperaturas, resistência do vento e diferenças de inclinações das ruas. Ou seja, são acionados com maior importância os músculos estabilizadores, dentre outros. Em contrapartida, é preciso atentar a buracos para evitar torções e lesões. Na corrida em asfalto, o gasto calórico (lembrando que pode apresentar variações de acordo com cada pessoa) gira em torno de 600 cal/hora.

Corrida em Grama
A corrida em grama é ideal para quem apresenta algum sobrepeso. Esse tipo de terreno gera menor impacto nas articulações, visto que funciona como um amortecedor natural.

Corrida em Areia Fofa
A areia fofa gera muita instabilidade ao corredor, dessa maneira o corpo solicita maior ação muscular. Quem busca a queima calórica pode se dar bem nesse terreno, uma vez que o consumo calórico é 15% a 20% do que o observado na esteira ou asfalto. A má notícia é que esse esforço superior fadiga os músculos mais rapidamente.

PS: Para quem visa competições, indica-se treinar no tipo de piso em que vai concorrer.
PS2: Mudar o tipo de ambiente da corrida é recomendado apenas para pessoas habituadas ao esporte, visto o maior risco de lesões. Isto é, nada de abandonar suas Running Class para se aventurar por aí sem o devido preparo.

Edson Raphael
Equipe Mondayacademia.wordpress.com

Musculação livre de estrias

Engana-se quem acha que estrias são tormentos apenas femininos. As temidas rachaduras na pele também são comuns em homens, principalmente, entre os adeptos da musculação. Isso ocorre quando um determinado músculo se desenvolve rapidamente e a pele não consegue acompanhar esse crescimento. Em termos mais precisos, a estria ocorre por uma quebra das fibras que compõem a segunda camada da pele. Os casos ligados à hipertrofia, habitualmente, surgem nas regiões do peitoral (próximo à axila) e bíceps.

Você não precisar desacelerar seu treino para evitar esse problema. É possível prevenir o surgimento das estrias. Em linhas gerais, o ideal é hidratar e nutrir a pele, de modo a deixá-la mais flexível:

– Impossível falar de hidratação, sem falar de água. Reserve já uma garrafinha, pois além de prevenir as estrias, a água é fundamental no processo de hipertrofia;

– Ter uma dieta saudável, rica em alimentos fontes de vitaminas A, C e E – como cenoura, abacate, laranja, avelã e óleo de germe de trigo – ajudam na formação de colágeno (proteína importante na composição da pele);

– Utilização de hidratantes e óleos corporais (o de amêndoas, por exemplo);

Caso você já possua as estrias saiba que alguns tratamentos podem amenizar o problema. Entre eles destacam-se os baseados em ácidos e laser. Os resultados são mais eficazes nas estrias vermelhas, as mais recentes. Em todo caso, seguir as recomendações de um dermatologista é de suma importância para um procedimento seguro e com bons resultados.

Edson Raphael
Equipe Mondayacademia.wordpress.com

Como prevenir a dor muscular pós-treino

Todos os que praticaram atividade física alguma vez na vida sabem que ao lado da sensação de bem-estar originada dos exercícios, vem também aquela chatinha dor muscular que insiste em incomodar. Essas dores comuns ao pós-treino (ou como dizem os profissionais de educação física, as dores musculares de início tardio – DMIT) podem ser prevenidas, atenuadas ou mesmo aliviadas, aponta o coordenador-técnico da unidade Vila Mariana da Monday Academia, Andre Della Creche. Antes de conhecermos essas dicas, que tal entender um pouco o que gera essas dores?

Durante a prática física, nosso corpo gera ácido láctico a partir do processamento da glicose. Esse ácido se acumula nos músculos gerando fadiga e sensação de dor. É a maneira de o organismo dizer que aquele músculo precisa de um descanso. Essa dor geralmente é sentida imediatamente após o exercício. Há ainda, outro tipo de dor que pode se estender por até 72 horas. Esta está ligada a microtraumas no tecido muscular (os mesmos traumas fundamentais para a hipertrofia) que geram pequenos processos inflamatórios nos músculos. O restabelecimento desses microtraumas leva ao fortalecimento.

Apesar de parecer assustador, esses mecanismos ocorrem toda vez que você começa uma atividade ou muda um estímulo. Às vezes, sentimos mais, às vezes menos, dependendo da intensidade dos exercícios praticados. Agora que está tudo esclarecido, vamos enfim às dicas de prevenção e alívio desse incômodo.

– Faça avaliação física.
Isso será fundamental para entender o quanto seu corpo suporta em cada exercício, quais as cargas mais indicadas para você;

– Se aqueça antes da atividade física
O aquecimento prepara músculos, tendões e articulações para os estímulos que virão a seguir. Além disso, previno lesões;

– Se alongue após o treino
O alongamento relaxa os músculos, contribui para sua recuperação e previne as dores de início tardio;

– Compressas com gelo;
Se a dor não estiver dando trégua, compressas de gelo pode ajudar a combater as inflamações musculares. Fazer duas vezes por dia, por cerca de 10 minutos, é o bastante;

– Alimente-se bem;

– Durma e descanse.

Edson Raphael
Equipe mondayacademia.wordpress.com

Como escolher tênis para corrida

Quem nunca sonhou com uma prateleira cheia de calçados à la Carrie Bradshaw do finado Sex and the City? Contudo quando se trata de escolher um tênis para corrida, tantas opções pode ser um verdadeiro pesadelo. Para ajudar nessa, o coordenador técnico da unidade Vila Mariana da Monday Academia, André Della Creche, dá algumas dicas fáceis e práticas:

*Marca
Marca pode ser sinônimo de conforto e confiabilidade. Dezenas delas possuem modelos semelhantes de tênis. Se você gosta e está acostumado a uma específica, continue com ela.

*Pisada
O ideal é escolhermos um tênis que atenda às características da nossa pisada. Ela pode ser supinadora, isto é, voltada para a parte externa. Pronadora, voltada à parte interna. Ou neutra, no meio.

Caso sua pisada seja uma das duas primeiras, o ideal é um calçado que a corrija. Manter uma pisada errada gera sobrecarga nas articulações, além de encurtar e superestender músculos e tendões.

*Amortecimento
Segundo André, os melhores são os amortecedores em gel. Há outros tipos de amortecimento, veja qual se adequa melhor a seu bolso e preferência. Dica: apenas não opte por molas.

*Sapatilhas
Se você corre há algum tempo e tem boa consciência do seu corpo e pisada, pode tentar também as sapatilhas de corrida (algumas acomodam os dedos tal como luvas, vide foto acima). Em geral, elas possuem solado mais fino e leve absorção de impacto. Por conseqüência, estimula seu corpo a se preparar para uma natural absorção dos impactos gerados pela atividade.

Com o perdão do trocadilho, corra para uma loja, escolha seu par e bom treino.

Edson Raphael
Equipe mondayacademia.wordpress.com